Thursday, April 11, 2013

Recortes de uma terça-feira

O trânsito parou. De novo. Olhei pela janela à minha esquerda e percebi aqueles pés juntos por entre os canteiros centrais da Consolação. Pés sujos e semi-descalços na manhã da terça-feira nublada. Vestia calças compridas e escuras. Estava enrolado em outros trapos, mantinha a posição fetal. Os cabelos engruvinhados davam forma àquela cabeça abaixada.

Apertei os olhos para conseguir ver o que ele olhava com tanta atenção. Para a minha completa surpresa, muito concentrado, ele escrevia em um caderno grande. De pautas.

(*) Arquivo Pessoal
O trânsito andou. Ele continuou ali: entre canteiros, perdido no seu mundo, escrevendo. E eu continuei no fluxo, no meu mundo, querendo descer do carro e ir ver mais de perto aquele homem que escrevia no meio do barulho da cidade.