Monday, February 11, 2008

~ Ponto final ~


Tudo o que eu preciso é de um ponto final. Certo. Mas como chego mesmo até ele? Não sei. Seria simples, não seria? Afinal, é apenas um ponto final. Acabou. Não tem mais continuação. Não se trata de um ponto e vírgula. Ou de dois pontos. É apenas um ponto. Final.
Tenho grandes dificuldades internas em dar meu ponto final. Seja em amizades, seja em namoros, rolos, em qualquer situação, é difícil para eu conseguir e, quando eu finalmente tomo a decisão de fazer, eu faço, mas com dor, com certo ressentimento.
Talvez eu precise praticar um pouco mais de desapego. Percebo isso ao arrumar minhas coisas... sempre tem tanta “tralha” que não tenho espaço para as coisas novas. Tenho uma mania de guardar as coisas que “não-vou-usar-agora-mas-pode-ser-que-um-dia-me-seja-útil”, sabe? Pra quê? Pra ocupar espaço... só se for. E que espaço. Espaço que andou me fazendo falta nos últimos tempos.
Não seria mais fácil, simplesmente, jogar fora o que não serve? Oh, se seria. O problema é que a prática está muito longe da teoria. Até o dia em que eu acordo e decido que as coisas têm que ser diferentes. Que eu não preciso agradar todo mundo à minha volta. Que eu não só posso como devo arrumar as coisas ao meu redor do jeito que eu bem entender. Que eu posso fazer o que eu quero sem que os outros se incomodem ou mesmo que eles se incomodem, qual é o problema? Qual é o problema em dizer não de vez em quando?!
A cada dia aprendo um pouquinho mais da imensa cartilha e a lição na qual estou agora está me ensinando a tapas o que é dar um ponto final em certas situações. Um ponto final crucial, jogando fora tudo o que não presta, não prestou e não prestará mais. Arrancando as coisas que não têm mais a mínima utilidade nos dias de hoje.Apenas um ponto final, é só isso que preciso.

1 comment:

Fê Savino said...

Quadro de Frida Kahlo... ok, sei que estou repetitiva, mas não consegui me conter. Adorei este desenho e acho que é bem a miscelânia de coisas existentes na minha vida... hehe