Thursday, September 10, 2009

Disfarces


Meus olhos não conseguem esconder o que está por dentro, assim, tiveram que ficar atrás dos óculos escuros para tentar esconder aquilo que eu não queria deixar transparecer. Tentei não ser transparente e deixar as coisas fluirem, mas nem sempre as coisas acontecem da minha maneira e, confesso, não sei lidar com as minhas frustrações e muito menos com as expectativas contidas. Pior ainda: não sei esconder as coisas e agir naturalmente!

Voltamos. Um caminho de volta que não parecia ter fim, pelo menos pra mim. Em alguns momentos não queria que acabasse, afinal, era bom estar perto. Porém, por outro lado, quanto mais perto ficava, mais a ferida se aprofundava e não sabia para onde me atirar. Não sabia como pensar ou aigr.

Mantive o silêncio. O silêncio da alma, mesmo com a minha cabeça borbulhando de coisas para falar... como se a panela de pressão fosse explodir a qualquer momento com todas aquelas palavras sendo jorradas para os cantos, mas me contive. Algumas palavrinhas escaparam por entre meus lábios, mas tratei de me concentrar e não deixar sair mais nada pelas tangentes.

Os sentimentos transbordavam e eu só conseguia pensar em como seria mais fácil se eu pudesse apenas expressar o que estava sentindo naquele momento.

A vontade verdadeira era de trazer sua mão para perto de mim... de segurá-la por todas aquelas horas e ficar pertinho. Não precisava de mais nada e as palavras seriam dispensadas. A panela de pressão não mais pressionaria e o tempo poderia parar. Os óculos não seria mais necessários e as lágrimas não precisariam ficar à espreita esperando o momento certo para vir, pois não viriam.

No entanto, não tive coragem de me expor mais uma vez e assim fiquei... perdida nos meus pensamentos enquanto o verde passava rapidamente por mim, enquanto a noite caía.

4 comments:

Marcela Marson said...

Ai amiga! que fueda!
Te entendo! as vezes temos tanto o que falar, mas de repente a idéia de se machucar mais um pouco é pior do que se expor.
É aquilo, só se de repente aquele tempo desse uma congelada e pudesse viver aquele momento.

Lindona!
Beijo grande.

(ps: agora tenho um blog:http://folgaparaalma.blogspot.com/)

Caco said...

Quem é a gata da foto?

Fernanda S. said...

Opa... that will be me =) hehe

Flavia Melissa said...

que sentimentos intensos...
pior do que a voz que cala é o silêncio que fala!