Wednesday, April 07, 2010

A casa

Tudo está arrumado dentro da sua casa. Seus móveis estão impecáveis, a iluminação está perfeita, os quartos e as gavetas estão limpos e cheirosos. A casa está em excelente estado, pronta para ser desfrutada.

Depois que ela arrumou tudo, ele aparece. De início, não sabe muito bem como agir e olha apenas pela frestinha da janela o mais novo desconhecido que passa na rua. Ele parou na sua porta. Meio desconfiada, acaba abrindo a porta e deixando-o entrar. A princípio, ele mexe em algumas coisas, senta-se no sofá, procura algo no interior da cozinha e chega até a conseguir abrir algumas das suas gavetas trancadas a chaves. Ela continua na defensiva, mas não o impede de fazer coisa alguma.

O tempo passa e as gavetas deixam de ter chaves. A geladeira já é aberta e fechada quando ele quer, sem restrições. As roupas dele já se espalham pelo sofá, a toalha na cama. A casa vai ficando um pouco mais bagunçada, as coisas já não estão no seu lugar. E ela? Ela deixa que tudo fique assim, sem pôr e nem tirar. Limpa tudo direitinho, mas não tira nada dele do lugar... Deixa escapar as suas próprias vontades pelas frestinhas das janelas em nome da sua felicidade momentânea, mesmo que, para isso, tenha que deixar tudo espalhado do jeito que está. Com isso, deixa escapar também que não é de ferro, que não tem sangue de barata e que tem sentimentos. Tem sentimentos pela casa que ela construiu pedacinho por pedacinho durante todos esses anos, tem carinho pela mobília, pelas roupas, pelos pisos, pelo telhado... Sabe que não é das melhores casa do bairro, mas sabe também o quanto demorou para construí-la.

Sua permissividade ultrapassa as suas vontades e, assim, ela vive a esperar. Espera que ele lhe dê mais atenção. Espera que ele lhe dê mais carinho. Espera que ele lhe dê um pouco mais de prioridade. E vive a esperar.

Enquanto isso, os meses se passam e ele vai deixando algumas coisas para trás... alguns objetos pessoais, algumas roupas pelo chão, alguns armários semi-abertos. Pouco a pouco, ele vai saindo pela porta dos fundos. E ela? Ela fica lá, no meio da bagunça pensando o porquê de tudo ter ficado de pernas para o ar.

Assim, fecha suas portas e suas janelas. Ela precisa colocar a casa em ordem... tudo de novo!

5 comments:

M. said...

Nossa que texto lindo Fê...

Se trocasse a palavra "casa" por "coração" o sentido do texto todinho ainda seria o mesmo

:)

Leca said...

Gostei muito do texto...
às vezes é necessário...fechar portas e janelas...
arrumar a casa...
antes de reabrir...
beijos
Leca

Curiious said...

O texto poderia se chamar "Fechada para balanço"...rs

Beijos

Gabriela said...
This comment has been removed by the author.
Gabriela said...

Nossa, eu adorei esse post, Fe!!!

E fiquei sabendo que a Fatima andou acertando por ai hein... Ta acertando com vc (eba!), com a Elo, com a Bia..! E vamos ver se vai acertar comigo tb. Te conto oq ela falou no churrasco!

Beeijo!