Friday, June 22, 2007

* C'est fini *

"An' the deeper the love
The stronger the emotion
An' the stronger the love
Deeper the devotion"
(The deeper the love - Whitesnake)

Dois anos. Em dois longos anos muita coisa mudou: meu modo de ver a vida, meu jeito de vivê-la, as minhas vontades e meus anseios, meus amores e desamores... enfim, muita coisa mudou.
Naquele 22 foram muitas as lágrimas derramadas. A distância se tornou ainda maior. O que era separado por um mar, parecia ser separado por um mundo inteiro. Foi como um soco na barriga que tira o seu fôlego e você demora a recuperar. Uma dor inexplicável, uma falta de ar para respirar. Doía no fundo, profundamente. Não tinha forças para indagar, não queria entender. As fotos demoraram ainda para sumir da parede. Os inúmeros e-mails demorados para ser excluídos. Sem nada poder fazer, sem nada poder explicar, foi simplesmente assim, pelo computador. Algo tão virtual que não tinha como ser engolido. Virtual em todos os sentidos da palavra e, por isso, tão complicado de entender. Tão diferente de tudo, tão seco.
Uma ferida que ficou aberta em meio ao abismo de sentimentos. Parecia que tinham posto o dedinho com uma unha comprida e suja, cheia de micróbios dentro da imensa ferida que ali tinha se formado. E cutucaram e mexeram e abriram ainda mais. Doía em cada pedaço, em cada tecido. Não tinham lágrimas para chorar o que eu estava sentindo. Parecia que tinham arrancado um pedaço de mim...
Motivos? Até hoje não sei. Explico como posso explicar, até onde minha imaginação chega, mas nunca consegui entender o que se passou realmente. Até hoje, muitas vezes, ainda paro e olho para trás me perguntando aonde foi que eu errei e, antigamente, acreditava de verdade que EU é que tinha errado. Errado por ter amado demais, por ter chorado demais, por ter sofrido demais, por ter cobrado demais.. mas hoje vejo que não, não tenho 100% de culpa nisso tudo. Cadê a outra metade da responsabilidade para que o relacionamento dê certo?! Desta forma, criei teorias para explicar aos outros o porquê não deu certo. Teorias, muitas vezes, com boas fundamentações que até convenciam a mim mesma de certos fatos e, outras vezes, nem passando perto disso, apenas nas bases da emoção propriamente dita.
Foram dois anos de tentar explicar e entender sem conseguir. Foram dois anos de luta contra sentimentos diversos que me atingiam a todo momento. Momentos de amor, ódio, tristeza, saudade, solidão... mas, tudo passou e, quando olho para trás, vejo muito crescimento, muita coisa boa vivida e muitos momentos ruins também, mas que passaram... passaram com o tempo, com o vento, com a vida.
Olho para trás e tenho certeza de que amei com todo meu sentimento uma pessoa linda que eu conheci, mas que ficou para trás, pois amei aquela pessoa e não a outra em que ela se tornou no processo natural de crescimento. Amei aquele que me deu amor, carinho, respeito... que me tratou bem, que soube olhar nos meus olhos, que soube ser exatamente o que eu procurava e não sabia ao certo que tinha achado. Aquele com quem fiz planos, brinquei e chorei junto e por que esperei, esperei, esperei sem cessar... sempre com esperança, sempre com brilho nos olhos...
Morri de saudade, de angústia, de medo, mas o bom é que passou. Junto com os dois anos, as dores passaram e me conheci mais. Percebi que há outras Fernandas e outras Cristinas bem aqui dentro de mim... que suportam coisas que jamais imaginariam e passam por provações a todo momento... que olham para a vida e percebem que há mais para ser vivido que um grande amor. Anseiam mais, querem mais, e, se pudessem, mostrariam mais as pessoas que é lindo amar, independentemente de tantos entraves que aparecem no decorrer da vida. Que é lindo sentir e viver e abraçar e sonhar... que é lindo ter alguém ali que sente a mesma coisa, no mesmo nível, da mesma foram. Que sonha, que brinca, que ama, que espera, que sente falta a cada quilômetro longe.
O que restou desses dois anos foi muito carinho, uma enorme distância e grandes descobertas: descobri, realmente, que não preciso de outrém para ser feliz, pois minha felicidade mora bem aqui, no meu coração e que sou mais forte do que eu mesma imaginava... descobri meus novos caminhos, novas pessoas, novos amigos, novos amores e novos inimigos... descobri o que é ser ainda mais verdadeira com os outros e, acima de tudo, comigo mesma.
“but I’ve made up my mind... I ain’t wasting no more time... here I go again..” (Here I go again – Whitesnake)

7 comments:

Fê Savino said...

Foto por Paulo Bizarro

Lívia Possi said...

Verdades. Elas deveriasm ser inerentes a nós desde o primeiro respiro... Até a última dor.

Que bom, Fê...
A gente só pára de crescer quando não se permite mais, não é? Buscar a si própria é o melhor investimento que vc pode fazer!

Estamos aqui pra o que der e vier!
Adoro você!

Beijos, Fezoquinha! =)

Anonymous said...

c'est fini, ma cher!!!! "We've come a long, long way together
Through the hard times, and the good
I have to - celebrate you, baby
I have to praise you like I should..." cantaremos muito, tenha certeza!
je suis très contente de vous connaître!!!hahaha...
2007 - 2011 período MÍNIMO que vc terá para "esquecer" TUDO isso que vc passou...

bisouuuuu

Ick said...

é incrivel né as vezes passamos por isso mas,, nen sempre tem que ser assim,, não é? eu espero que seja afinal amamos e seremos amados. ame. kisses 2 anos humps ppaassaa como vento... kisses

Gian said...

E assim as pessoas de pedra v�o se lapidando e tomando forma... Eis que de repente se vislumbra o diamante! Parab�ns! :)

Just a curious said...

Infelizmente o tal "processo de crescimento" traz crescimento só para algumas áreas, enquanto outras regridem.
Mas, na hora certa, existirá alguém que já "cresceu".
Keep the Faith.

Flavia Melissa said...

deixe a cabeça de lado, ela é da matéria e visa apenas a sobrevivência da carne, do corpo. visa a sobrevida, não a vida. o que preza pela vida e pelo bem viver é o coração.

então páre MESMO de se questionar onde foi que vc errou, o que poderia ter feito de diferente, em que vc vacilou, gata, porque vc até poderia ter agido diferente em uma situação ou outra, e quem procura culpa sempre a encontra.

mas quer dizer que uma palavra errada, uma atitude mal tomada, um vacilinho ou outro... essas pequenas coisas podem ser capazes de destruir um grande amor?

isso me parece presunçoso demais. não falo apenas de vc, falo de mim tbm, e isso me parece prepotente demais. wowwww, como cristina e melissa são poderosas, não? são capazes de manter um relacionamento de forma onipotente e majestosa, como se o outro não contasse?

papagaiada. vc fez o melhor que pode (eu sei disso). vc cruzou os sete mares (eu sei disso). vc ultrapassou suas próprias barreiras (eu sei disso).

mas a verdade é que o universo acha que vc merece mais. e nós sabemos disso.

então suck the experience, pinte um quadro colorido com elas e pendure na parede, prá vc poder olhar sempre prás belas pinturas da sua vida.

depois disso apague a luz e feche a porta. olhe pela janela e veja o dia colorido e iluminado que a vida está te dando de presente.

sai prá rua e vai brincar.

to aqui sempre, te amo tanto que até dói.
beijos!