Friday, November 28, 2008

~ Not a good impression ~


Se me perguntassem na data de hoje o que acho de mim mesma, me achariam, no mínimo, uma fraca, pois seria assim que eu me descreveria: FRACA.

Uma única coisa que acontece na minha vida e eu já posso perceber que os sintomas não são de hoje, mas já vêm de muito longe e só eu não tinha percebido.

Sinto-me fraca por não conseguir alcançar as coisas que eu quero e do jeito que eu quero. Por não ter a força que meu pai teve quando era mais novo e ainda hoje, mesmo estando mais velho, continua seguindo em frente firme e forte.

Vivo falando para as pessoas ao meu redor que elas devem estabelecer as prioridades na vida delas, mas e eu? Estabeleço, por um acaso, as minhas prioridades? Acho que não. Se analisar bem, até estabeleço, mas a cada dia, a cada momento, não tendo uma prioridade certa por muito tempo.

Chegou num ponto em que não sei se devo me dedicar ao que eu mais gosto de fazer que, até onde eu sei, é estudar (e que tenho feito mal e porcamente), ou se devo me dedicar ao meu trabalho de estagiária onde eu praticamente pago para trabalhar (mas a experiência é o que conta, minha filha), ou à representação da sala (enviando e-mails aos montes para aluno, professor, coordenador, secretaria, representantes e pra quem mais for preciso e ligando, indo atrás, correndo escadas abaixo)... ou ainda posso me dedicar à minha iniciação científica (isso mesmo, aquela daquele post antigo que eu nem imaginava que eu ia conseguir saber o tema e agora que eu sei, não tenho feito muita coisa para estudá-lo), ou se me dedico à monitoria (que, pelo menos para este semestre acabou... que alívio!), ou à representação estudantil na Congregação (órgão máximo da minha faculdade), ou ainda à nossa comissão de formatura!

Além disso, posso escolher entre a yoga, a terapia e os meus 1.500 amigos no orkut.

E aí é que eu paro e me pergunto: afinal, por que tudo na minha vida tem que ser tão exagerado? Em tão grande quantidade? Por que eu não consigo fazer uma coisa de cada vez?

Eu também não sei, mas só sei que o ponto em que as coisas chegaram não está me deixando nada feliz comigo mesma. Cansei de ser fraca e não conseguir fazer as coisas do jeito que eu quero.



I just feel completely lost.

6 comments:

Fernanda S. said...

Foto por Ana Loura

Gian said...

Vai por mim, paçoquinha com guaraná´vai te deixar muito mais feliz do que qualquer grande acontecimento! Siga em frente, pois já deu certo! beijos

curious said...

Quem quer agradar a todos, não agrada a si próprio!

N. Ferreira said...

Eu acho tremendamente injusto vc colocar o nome de fraqueza nisso tudo que vc descreveu. Ok, talvez vc queria coisas demais, ou talvez não queira o bastante nenhuma delas, talvez falte até um pouco de foco.
Mas fraqueza?
Fraqueza por que?
Considero fraco quem passa por cima de seus princípios com facilidade, quem avilta seus valores por pouco, quem vende sua moral por acreditar muito pouco em si mesmo.
Confusa?
Ok.
Mas fraca?
ona Fernanda, aí você vai me desculpar.
Fosse eu um pouquinho menos educada, já sabe pra onde te mandaria...
Assim mesmo, te amo.

Flavia Melissa said...

e vc já por acaso TENTOU fazer uma coisa de cada vez prá ver se não consegue mesmo?

tenho tanta raiva de vc quando vc tem raiva de vc!

sem motivos para beijos :(

Fernanda S. said...

Gian - posso trocar a guaraná por coca zero?!?! hehe

Curious - no comments. I'm working on that as well!

Nana e Flá - cada dia mais feliz por ter vocês duas como minhas verdadeiras amigas! Valeu pelo puxão de orelha!!!
Amo mto! As duas!