Friday, March 23, 2007

* Sentidos opostos *

“ Dois caminhos, uma chave...
Um estrondo, uma porta errada..."
(Dois caminhos - Babado Novo)
Uma única porta de saída e dois caminhos opostos, completamente diferentes.
Ela sai e atravessa a rua para descer. Ele sai e também atravessa a rua, mas vai para o sentido contrário. Ela vai para casa, esquecer das tristezas e pensar um pouco em tudo o que aconteceu no seu dia. Ele não vai para a sua casa, vai para outros lugares que não fazem sentido algum. Ela está exausta de querer fazer tudo ao mesmo tempo, mas, mesmo assim, não sabe viver de outra maneira: quer trabalhar, estudar, aprender Francês, Espanhol, curtir a vida ao lado de alguém que faça valer a pena... Ele, por sua vez, quer também estudar, arranjar um bom emprego com horários mais flexíveis, crescer na sua área. Quer curtir, mas de forma diferente do ponto de vista dela. Quer estar sempre em contato mesmo que isso faça mal para todos os lados que possa alcançar. Mente em prol de um bem-estar que não é comum a todos e sim, somente a ele mesmo.
Ela quer mais! Quer aproveitar cada instante, pois a vida passa voando e, ao mesmo tempo, não quer fazer nada. Quer voar, mas quer também ficar parada. Quer sorrir quando as lágrimas já estão em seus olhos.
Ele quer ser feliz, mas busca sua felicidade em caminhos muito obscuros e estranhos. Ele continua a ser “cabeça dura” e não admite certas verdades para si mesmo por mais que isso doa em outras pessoas e até nele próprio. Ela continua a ser cabeça dura em pensar que um dia, muito distante, as pessoas podem mudar. E elas, de fato, mudam, mas não como ela gostaria. Mudam para pior, pois ela acaba perdendo a confiança em quem ela mais acreditava e não gostaria que isso acontecesse de forma alguma.
Ela, politicamente correta, segundo ele mesmo. Ele, um doido que não sabe o que quer da vida realmente, segundo ela mesma.
Os caminhos não se cruzam mais a não ser que ele o queira, mas ela não o quer. Não tem mais graça. Os olhares não são mais aqueles de antigamente. Os sentimentos são distintos. Os gestos, o jeito de falar, as ligações inesperadas já não têm mais o mesmo sentido. Sentidos opostos, contrários, obtusos, perdidos em algum lugar num passado próximo e, ao mesmo tempo, distante.
Caminhos percorridos diferentemente que nos levam a outros lugares que jamais poderemos imaginar...

7 comments:

Fê Savino said...

Foto: "Lake district" por Paulo Lopes

flavia melissa said...

ok, got you...
quando?

lezinhaaaaa said...

Já falei que pago um pau absuuuurdo pra você escrevendo.
E que sei lá, mas pegaria de meiiiinhas :p
aehuhuaehuehuehue

Beeeijo zuada :*

Camila said...

Talvez eles sigam caminhos diferentes, mas cheguem em lugares iguais lá na frente...e o bacana é que cada um chegará de um jeito, e a surpresa PODE ser agradável.

Nana Ferreira said...

jigoro
Um grande descompasso?
Ponteiros de relógios que não marcam a mesma hora?

...

Seja frio ou seja quente, não seja morno que te vomito.
Um ode à intensidade da vida!

Lee said...

E então, ela descobre que nem tudo é tão perfeito como gostaria que fosse...
Queria poder dizer algo realmente importante, nada de frases feitas, sabe?
Mas também me encntro numa fase "Ela", sem maiores explicações pra si própria...

Mas, sinceramente...
É tudo questão de empurrar a vaca!
^.^

Bjo, Fezoca!

flavia melissa said...

a-do-rei!